16 de outubro de 2009

Top de 5ª - 5 coisas que não podem faltar numa festa de família

E eis que surge o top de quinta que veio na sexta! Feriadão, viajando pra encontrar a família e comemorar o aniversário da minha mãe, não tive tempo de postar aqui. Mas a viagem me inspirou um top daquelas coisas que tem em toda família (ou pelo menos a gente gosta de pensar que tem, porque senão a sua família é que é esquisita):

#5 - Um parente que você nem conhece mais, mas se lembra de você: essa é cruel! Eu sempre tenho a impressão de que eu sou o membro mais relapso da famíla.
"- Quem é aquela ali no canto? / - É a Marcinha, filha do tio Nestor! / - Filha do tio quem?"

#4 - Uma pessoa idosa pra reclamar do quanto você está magro: pode ser vô, vó, tio, tia-avó, sempre tem algum velhinho benevolente pra dizer "mas como está magrinho!". Ou, na contra-mão, quando a pessoa está com aqueles quilinhos a mais (e louca pra se livrar deles): "ah, mas tá gordo, saudável!"

#3 - Muita comida, e alguém achando que não vai dar: e normalmente é a mesma pessoa do número anterior. Invariavelmente, essa bondosa senhora - geralmente é mulher - vai tentar colocar mais um quilo de feijão pra cozinhar ou assar um frango inteiro quando souber que vai chegar um convidado a mais. E o que é mais impressionante: mesmo diante de toda a sobra (via de regra, aproveitada nas próximas 4 refeições), ainda declara: "E quase que não deu mesmo!"

#2 - Um parente bêbado: é óbvio, esse personagem não pode faltar! Às vezes, são vários, ou mesmo todos os parentes que "estão com os copos", como se diz na terrinha. Nesse último caso, é o parente sóbrio que é a exceção; sempre tem um que não bebe. Mas o bebum de plantão geralmente é o mais comum: mesmo que estejam todos tontos, sempre tem um que se destaca. Seja um vetor para a discórdia, um chato insuportável, ou a alegria da festa, esse barrilzinho de chope é sempre uma presença confirmada!

#1 - Uma briga! Ah, sim, sempre tem alguma rusguinha em algum nível. Desde o cochicho escondido na cozinha até o barraco do tipo abertura-de-novela-do-Manoel-Carlos, o Pomo da Discórdia estará sempre presente nas mesas de reuniões familiares em todo o mundo. Famílias são feitas de pessoas, muitas pessoas, e a coisa que as pessoas mais tem dificuldade em fazer é viver em comunidade. O que é muito estranho, pois foi uma das primeiras coisas que a nossa espécie decidiu fazer, mas enfim... talvez seja essa a beleza da coisa, a sua família é o grupo no qual você pode brigar, e depois fica tudo bem. Ano que vem estão todos juntos de novo, e prontos pra outra!

Um comentário:

Fabi disse...

Esqueceu-se de dizer que esse desconhecido parente invariavelmente nos diz: "te peguei no colo".
Estive recentemente em Portugal visitando a familia e, dos novos velhos parentes que conheci, uma senhora me saiu com essa: "Peguei tua mãe no colo!"...

 
BlogBlogs.Com.Br