24 de outubro de 2009

O Paradoxo da Regra e da Exceção

Um pouco de filosofia barata. Diz a tradição que toda regra tem uma exceção. Subentendido pela palavra "toda", está o enunciado de uma regra. Logo, se "toda regra tem uma exceção" é uma regra, ela deve estar submetida a si própria, e apresentar uma exceção - em outras palavras, existe uma regra que não possui exceção.

Porém, a presença dessa exceção invalida a regra, que, necessitando de reformulação, passa a ser "quase toda regra tem exceção". A menos que admitamos que à exceção a esta regra seja ela própria, e nenhuma regra deixe de ter exceção. Assim, "toda regra tem exceção" é a única regra que precisa de uma exceção para ter validade universal, e para que funcione perfeitamente, deve ser a sua própria exceção.

Em última análise, essa passa a ser a única regra que, ao mesmo tempo, tem e não tem exceção.

2 comentários:

Fabiana disse...

uau. boa observacao, sr. Lima!

Anônimo disse...

Assim sendo, também é paradoxo dizer que "Toda generalização é burra". Usando da mesma linha de raciocínio:

(1) "Toda generalização é burra"
(2) O fato de ter o pronome "toda" em (1) já a transforma numa generalização.
(3) Logo, pelo que está em (2), chega-se a que o que é dito em (1) também é uma burrice.
(4) Portanto, há algumas generalizações que não são burrice.

 
BlogBlogs.Com.Br